www.centrocelsofurtado.org.br


Boletim n.46


Imprimir



 
 

  

Boletim n.46

24 de maio de 2018

 

 

Novas Aquisições

 

 

 

 
AGAMBEN, Giorgio. Estado de exceção. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2004. (Coleção Estado de Sítio).
 
Sinopse: Estado de Exceção é uma reconstrução histórica e uma análise da lógica e da teoria por trás da sua evolução e conseqüências, de Hitler aos prisioneiros de Guantánamo. Para isso o autor destrincha o pensamento de Carl Schmitt (autor alemão, contemporâneo de Walter Benjamin, com quem polemizou) e seus estudos sobre ditaduras; filósofos e teóricos do direito; e as mudanças nas constituições européias e norte-americanas que levaram a instituição do estado de exceção como paradigma. “Combatentes ilegais”, Patriot Act, Bush como commander in chief dos Estados Unidos, toque de recolher, zonas de proteção em encontros de organismos internacionais, pacotes econômicos, limites e contradições das democracias modernas, guerras preventivas e o executivo legislando por decretos e medidas provisórias são temas atuais abordados e que se relacionam diretamente com a análise de Agamben. Obra fundamental para entender o Estado e a política contemporânea, Estado de Exceção expõe as áreas mais obscuras do direito e da democracia. Justamente as que legitimam a violência, a arbitrariedade e a suspensão dos direitos, em nome da segurança, a serviço da concentração de poder.

 

 

  
CABRAL, Mário André Machado. Subdesenvolvimento e estado de exceção: o papel da constituição econômica e do estado no Brasil. Rio de Janeiro: 2018.
Sinopse:  O livro que o leitor tem em mãos é, sem dúvida alguma, uma das melhores reflexões sobre o dilema entre normalidade e exceção no contexto da teoria do subdesenvolvimento. Apesar da juventude, Mário André Machado Cabral apresenta um texto erudito e seguro sobre os impasses e desafios do nosso desenvolvimento. Os turbulentos dias em que vivemos constituem uma ótima oportunidade para que possamos revisitar as questões trabalhadas por Mário. Em épocas de desmonte deliberado e criminoso do Estado nacional, de restrição ou destruição de direitos e de incerteza em relação ao futuro do país, nada melhor do que voltarmos aos grandes pensadores do Brasil e tentarmos a partir de seus ensinamentos, tão bem analisados neste pequeno e denso livro, buscar as alternativas para a superação do estado de exceção e para a retomada da construção da Nação.

 

(Texto Site da Editora)
 
 
OLIVEIRA, Tiago. Trabalho e padrão de desenvolvimento: uma reflexão sobre a reconfiguração do mercado de trabalho brasileiro. São Paulo: Hucitec, 2017. (Estudos Brasileiros ; 11).
Sinopse: A reconfiguração do mercado de trabalho brasileiro entre 2004 e 2014 ocorreu em sintonia com um progressivo, porém incompleto, processo de construção de um novo padrão de desenvolvimento. O significado, os avanços e os obstáculos observados nesse período, diante dos problemas estruturais do nosso mercado de trabalho, são objetos de discussão do presente livro. As reflexões finais sustentam que a superação dos traços herdados do passado e a consolidação de um mercado de trabalho condizente com a nova inserção do país na economia mundial, e com os avanços no campo da cidadania e dos direitos sociais, dependem da sustentação do padrão de desenvolvimento que teve os seus primeiros alicerces fincados na década passada. Tais reflexões oferecem um contraponto, no momento atual, diante do predomínio de políticas de corte neoliberal no país e do abandono da estratégia de construção de um padrão de desenvolvimento mais inclusivo. 

 (Texto Site da Editora)

 
 
SAWAYA, Rubens R.; LACERDA, Antônio Corrêa de (Org.). Desenvolvimento brasileiro em debate: grupo de pesquisa sobre desenvolvimento econômico e político da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo: Blucher, 2017.
Sinopse: Este livro traz o resultado de algumas das pesquisas desenvolvidas no âmbito do Grupo de Pesquisa sobre Desenvolvimento Econômico e Política Econômica do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (FEA-PUC-SP) e do Programa de Estudos Pós-Graduados em Economia Política. Sua publicação contou com o apoio do Plano de Incentivo à Pesquisa (PIPEq) da PUC-SP. Organizada em oito capítulos, esta coletânea traz uma radiografia da realidade econômica brasileira e seus desdobramentos. O primeiro capítulo é “A crise financeira internacional do subprime e seus impactos”, de André Paiva Ramos, seguido do segundo, “Desindustrialização abismo abaixo: dependência cambial e abandono das políticas de competitividade no Brasil”, de Rodrigo Hisgail Nogueira. O terceiro, “Ortodoxia e desenvolvimento: inflação e mito”, foi elaborado por Rubens R. Sawaya. O quarto capítulo, “O regime de metas de inflação: uma crítica a partir da visão heterodoxa”, de André Luis Campedelli, e o quinto, “Altas taxas de juros reduzem a taxa de inflação?”, de Luiz de Moraes Niemeyer, discutem a política monetária. Na sequência, o sexto capítulo, “Brasil: a hora da verdade na busca do desenvolvimento”, de Norma Cristina Brasil Casseb e Márcia Flaire Pedroza, analisa a política industrial e a estrutura produtiva brasileira. Depois vem o sétimo capítulo, “Crise e ação externa: política externa e política econômica externa em debate”, de Joaquim C. Racy. Já o oitavo e último capítulo analisa a “Evolução do empenho inovativo das ETS no Brasil ao longo dos anos 2000”, escrito por Liliane Cordeiro Barroso, Lia Hasenclever e Antonio Corrêa de Lacerda.
(Texto Site da Editora)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
(Texto Site da Editora)




 



A Biblioteca Celso Furtado ficará fechada de 09 a 10/08. Reabriremos normalmente no dia 13/08, segunda-feira.

 














Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento
Av. Rio Branco, 124, sala 1304, 13º andar | Ed. Edson Passos - Centro
Rio de Janeiro, RJ, Brasil. CEP: 20040-001

Tel.: 55 (21) 2178-9541


e-mail: biblioteca@centrocelsofurtado.org.br

Horário de funcionamento:
De 2ª a 6ª feira, das 10h às 13h e das 14h às 18h

Centro Celso Furtado © 2006 - Todos os direitos reservados